31 de janeiro de 2008

Tu

Toco à campainha e tu perguntas quem é. Quando ouves a minha voz decides abrir a porta. É então que olho para ti e fixo os meus olhos nos teus. No entanto, como sou tímido (uma das minhas maiores fraquezas) não aguento muito tempo e desvio o olhar, fixando-me agora na tua franja. Ai ai como adoro franjas…
Pegas-me na mão e sinto a tua pulsação como se tivesse colado no teu peito. Não sei o que dizer, fico embasbacado, tudo o que tinha programado e organizado antes de abrires aquela porta, varreu-se-me por completo e fico à deriva, pertencendo o meu futuro ao teu próximo passo. Decides puxar-me para dentro de casa como se fosse teu convidado, mas na verdade este encontro já era há muito imaginado por mim. Guias-me para um dos quartos com a tua mão colada na minha. Começo a sentir a temperatura do teu corpo, quente como eu gosto, e de repente volto a olhar-te nos olhos e a tentar descortinar o que te vai no pensamento e que futuro me reservas para esta noite. Penso para mim se de facto é aquilo que eu quero e se o mereço. No entanto, sem mais demoras começo a sentir o paladar da tua boca encostada na minha. Como sempre, foste tu que deste o primeiro passo. E eu, envergonhado e de bochecha vermelha, deixo-me levar por ti. A partir deste momento, começo a sentir a tua outra mão e…

Acordo sobressaltado e abro os olhos.
- Raios, foi só um sonho…

5 comentários:

>> nim disse...

quando eu deixar de sonhar, deixem-me dormir porque morri.

abraço zé

mik@ disse...

:) o nim é que sabe....

sonha e esforça-te pra tornar os sonhos realidade :P

bjo

Paula disse...

Deixa lá! Para a próxima pode ser que seja realidade!
Bjs!

Telak disse...

Ze o sonhador!

os sonhos, são ...

Ruca! disse...

sonhar tudo bem...

mas não vale sujar o boxer, ok? :)

abraço zé húmido